www.pauloalceu.com.br
Paulo Alceu, coluna atualizada diariamente.
página inicial   newsletter   contato   biografia   publicidade
canais



pesquise







Coluna do dia
13-02-2016

Dados oficiais confirmam que os brasileiros quando visitam Buenos Aires gastam, em média, U$ 140 por dia. Enquanto isso, os argentinos que veraneiam em Florianópolis deixam no máximo, U$ 55. O que oferecemos de atrativo, além das belas praias? Ir à praia, na verdade, é um programa barato. Não entrando nas vergonhosas questões de poluição as atrações ofertadas são reduzidas. Há uma programação turística de eventos, shows, de repente mais localizada para um público jovem e não mais abrangente. Melhoramos em gastronomia, contamos com chefs e restaurantes interessantes. Não deixa de ter sido uma evolução importante, embora em muitos casos o serviço e os preços não sintonizam com a qualidade ofertada. O produto final não pode se restringir a natureza exclusivamente. Ela já cumpre com seu papel. Na verdade ela é a razão da vinda de turistas. Quando chove, há anos, os shoppings são a opção. Nada foi feito de lá para cá. Só para se ter uma ideia a Austrália fatura com turismo U$ 28 bilhões, enquanto que o Brasil não ultrapassa os U$ 7 bilhões. De repente falta até vocação. Mas voltando para Florianópolis outro grande problema por aqui é a judicialização. Tudo é mais difícil transformou-se na terra do “não dá”. Não tem diálogo, o que impede muitas vezes a busca da evolução, do avanço com equipamentos que qualifiquem nosso turismo e permita um rendimento muito maior. Com as dificuldades impostas devido a essa judicialização a desistência e o improviso passam a ser o caminho natural. Daí o turista que vem para cá gasta o que temos para ofertar. Menos mal que os argentinos que decidiram nos brindar com sua presença ficam mais tempo, embora deixem menos do que nós brasileiros, quando os visitamos com menos tempo.



13-02-2016

Há uma forte expectativa, por parte dos médicos, em relação ao resultado da consultoria realizada pela Ernst & Young Assessoria Empresarial Ltda, na Unimed da Grande Florianópolis. Isso deverá ocorrer no dia 25 de fevereiro em Assembleia Geral Extraordinária, onde também serão apresentadas as ações adotadas pela cooperativa, depois das conclusões das consultorias feitas pela Unimed Brasil e pela Federação das Unimeds. Uma delas foi o fechamento de duas unidades, atingindo 250 mil clientes. Ou seja, medidas de ajustes financeiros, que podem estar relacionadas com tropeços na gestão. Certamente temas que irão movimentar a Assembleia Geral.

13-02-2016

O projeto assinado pelo deputado tucano Leonel Pavan, isentando de ICMs, os automóveis comprados por representantes comerciais, embora tenha como argumento que o carro seja um instrumento de trabalho e a atividade contribui para a expansão comercial e industrial, abre-se na verdade um grande precedente. Está na hora de proporcionar condições de trabalho, não com regalias para determinados segmentos em detrimento de outros, que de repente se sentem prejudicados.

13-02-2016

O aniversário do deputado Marco Tebaldi, dias atrás, teria um ingrediente diferente, que acabou sendo adiado ou definitivamente excluído dos planos. Ele, de repente, anunciaria a pré-candidatura de Paulo Bauer para a prefeitura de Joinville pelo PSDB. Bauer, precavido, decidiu ficar em Florianópolis, frequentando ambientes sociais e dando uma passada mais demorada no aniversário do presidente da Assembleia, Gelson Merísio.

13-02-2016

Não é pelo fato de que a corrupção na Petrobrás vem de muito antes do governo Lula/Dilma, que isenta o PT de culpa. A corrupção é um cancro que acompanha o Brasil desde o Império. Quando o ministro da Justiça faz estas colocações, de que sempre houve corrupção na Petrobrás, e defende o atual governo pelas investigações é bom deixar claro que não é o Planalto que determina as operações da PF. Muito menos o ministro. Realmente o que eles podem fazer é atrapalhar. Como no caso de reduzir o orçamento da Policia Federal, que certamente começa a interferir no trabalho investigativo.

13-02-2016

Na quarta-feira, durante o balanço do Carnaval o prefeito Cesar Júnior sublinhou que a redução no repasse dos recursos para festas foi de 50% estimulando, desta forma, a chegada de investimentos privados. E que mesmo assim o Carnaval foi um sucesso. Claro que o corte se deu muito mais pela falta de verbas, diante de uma crise que atingiu também as administrações públicas exigindo malabarismos financeiros e bom senso, apesar dos desgastes políticos.

13-02-2016

Mas o prefeito Cesar Júnior vem defendendo uma mudança de mentalidade rompendo a dependência do poder público na realização de eventos. Junior espera que dentro de dois anos a prefeitura consiga fazer o Carnaval sem gastar dinheiro público, que nesses casos deve, isso sim, atender a área da saúde, transportes, segurança, e mobilidade. Ajudar é uma coisa, bancar é outra bem diferente. Essa dependência paternalista tem que ser realmente rompida.

13-02-2016

Nada melhor do que uma champanhe para diminuir distâncias. Num bate-papo intenso e extenso o marqueteiro Mauricio Cavalcanti e o senador Paulo Bauer sintonizaram os ponteiros, que estavam em certo desacordo desde a campanha para o governo, e já partiram para avaliações futuras.

13-02-2016

Vai acontecer segunda-feira agora, em Lages, o encontro de Formação Continuada aos Diretores de Escolas. São 1,2 mil diretores de escolas públicas que irão acompanhar uma palestra do governador Colombo sobre gestão pública e do secretário da Educação, Eduardo Deschamps, sobre Políticas Públicas de Gestão Escolar. Em pauta também as metas a serem cumpridas referentes as propostas do Plano de Gestão Escolar elaborado pro cada diretor com participação da comunidade. Seria interessante aproveitar para abordar, com apoio da Secretaria da Saúde, tema sobre o combate ao mosquito transmissor da dengue. Uma boa oportunidade de fechar o cerco nesse segmento, que envolve uma população jovem significativa.

13-02-2016

O deputado Valdir Colatto defende a utilização de aviões agrícolas numa ação de combate ao mosquito transmissor da dengue. Em dezembro do ano passado enviou uma proposta aos Ministérios da Agricultura e Saúde, mas há r0esistências. Já ouve uma experiência em 1975 na Baixada Paulista no combate ao Culex (pernilongo) onde o denominado Fumacê combateu uma epidemia de encefalite. Para Colatto o Brasil com a segunda maior frota aeroagrícola do mundo, com mais de dois mil aviões, essa ação pelo ar seria de maior abrangência e certamente eficaz. “Precisamos que o governo ouça os técnicos da área, as empresas de aviação e de defensivos para uma ação mais abrangente e emergencial”, disse Colatto, que por sinal é engenheiro agrônomo.


13-02-2016

Neste domingo, quem quiser falar com o prefeito, Udo Dohler, de repente até sobre os médicos residentes que ele cortou por economia, poderão encontrá-lo ás 17 horas na Arena Joinville assistindo o jogo entre o JEC e o Avaí. Esta na agenda oficial da prefeitura.

A vida segue
Para aprovar da venda da dívida, o prefeito Cesar Júnior necessita de 16 votos na Câmara. Trabalho árduo, principalmente, em ano eleitoral onde os adversários se somam e nenhum deles quer o prefeito, em reeleição, com dinheiro no cofre. E a cidade, novamente, em plano secundário.
13-02-2016


imprimir coluna do dia     indicar coluna do dia


Nota do leitor
Desempregados da atual crise!
09-03-2015

Boa tarde Paulo!
Esta crise econômica que iniciou no País certamente irá produzir muitos desempregos. Sou profissional liberal e, com a estabilidade da moeda, há cerca de uma década contratei a Maria como doméstica, pagando a ela o piso regional, recolhimento de INSS e FGTS, tudo conforme a lei.
O aumento do combustível e da energia me fez tomar a difícil decisão, qual seja, a de demitir Maria, uma eleitora fervorosa de Lula e de Dilma.
Nunca votei no PT, mas fico pensando nos tantos brasileiros que, como Maria, se iludiram com o discurso de ética, honestidade e de gestão competente que o marketing petista disseminou durante anos nas mentes e corações deste povo sofrido.
A "marolinha" vai vira um "tsunami" até o final deste ano 2015 e muitos perderão o emprego, principalmente aqueles que votaram na quadrilha flagrada pela Lava Jato.
Em tempo, parabéns à Polícia Federal, ao MPF e ao Judiciário Federal, em especial ao Juiz Sérgio Moro.


Fabiano Correia / Florianópolis

Ataques
09-03-2015

Sobre tua transcrição no ND de hoje (5/março) a respeito de manifestação de certo professor que te atacou, é de bom alvitre que ele deveria saber que no século XVIII certo filósofo francês de nome François Marie Arouet, mais conhecido como Voltaire, já dizia: "A ofensa é o argumento daqueles que não tem razão."
Um abraço do leitor

César Murilo Jacques Florianópolis.

Auxilio moradia
09-03-2015

Boa noite, prezado Jornalista, Paulo Alceu, venho por este parabenizá-lo do comentário desta noite , sobre a soma de deputados estaduais, que estão deixando de usar o auxílio-moradia.Uma vez que, o auxílio -moradia há muito deixou de lado, a verdadeira intenção para o qual foi criado. Espero que os dignos deputados da composição da Assembléia Legislativa de Santa Catarina , deem o exemplo para o resto do País, fazer o mesmo.E, que os recursos estes,não usados para este determinado fim, que não caiam em Fundo Perdido e sim, que sejam utilizados para a manutenção de escolas/clínicas e hospitais/delegacias de polícia. enfim que a utilidade dessa verba, tenha um melhor destino, do que , simplesmente , servir de alimento para a malandragem que gosta , de mamá deitado.Fique com Deus.

Marli Albuquerque Florianópolis

Professor , sim
09-03-2015

LAMENTAVEL NÃO FOI A FORMA COMO IMPEDIMOS QUE A COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA ADMITISSE A MEDIDA PROVISÓRIA 198/15. LAMENTAVEL É A FORMA COMO O GOVERNO TRATA SEUS SERVIDORES, LAMENTAVEL É COMO O GOVERNO, ME ASSALTA A MÃO ARMADA A MUITOS ANOS, LAMENTAVEL É VOCÊ OLHAR PARA SEU FILHO E DIZER QUE NÃO PODERÁ FAZER UM CURSO SUPERIOR PORQUE NÃO TEM COMO PAGAR A MENSALIDADE, LAMENTAVEL É VER A UNIVERSIDADE PUBLICA SER SOMENTE PARA OS RICOS, LAMENTAVEL E SER TRATADO COMO LIXO, LAMENTAVEL É VER A IMPRENSA VERMELHA EM TROCA DE VERBAS DE PROPAGANDA DEFENDER ESSES CORRUPTOS PERPETUOS DE SANTA CATARINA. LAMENTAVEL É NÃO VER A IMPRENSA FALAR DA OPERAÇÃO MOEDA VERDE, LAMENTAVEL É NÃO MAIS SE OUVIR FALAR SOBRE OS r$ 51.000.000,00 DESVIADOS DA CELESC SEM EXPLICAÇÃO DO VICE-GOVERNADOR. LAMENTAVEL É VER UMA CRICIUMA SITIADA POR BANDIDOS E A POLICIA BATENDO EM PROFESSORES. LAMENTAVEL É NÃO TER EM QUEM CONFIAR, ENFIM LAMENTAVEL É ALEM DE GANHAR POUCO AINDA É SER ROUBADO ATÉ NO DE PROTESTAR, E QUANDO FAZ ISTO A IMPRENSA NOS TRATA COMO BANDIDOS. COMO HOJE SOU TRATADO COMO BANDIDO, ME SINTO UM PRESIDENTE, UM GOVERNADOR ,UM SENADOR, UM DEPUTADO ETC. ETC. ETC.


MARCELO SPECK DA ROSA / criciuma

Tiro no pé
09-03-2015

Caro Paulo: Nada inteligente a atitude dos professores que estiveram na Assembléia para pressionar a retirada da Medida Provisória sobre a carreira do Magisterio. Sou professor ha 18 anos e nunca tivemos um dialogo tao aberto com a SED como agora. Todos os anos o Secretário de Educação passa em todas as regiões para ouvir, dialogar e buscar sugestões. Não muito tempo atras, tivemos um Secretario de Educação que ficou três anos sem receber o SINTE, isso sim é ditadura não agora. De modo que o dialogo e a negociação me parecem que encurtam o caminho para uma solução que todos almejamos e o que os professores fizeram na Comissão de Constituição foi mais um tiro no pé.


jandir fransozi / Santiago do Sul

Obfras do governo
09-03-2015

Gostaria de saber de você Paulo alcel merize. Porque quando fala da 403 dos ingleses. Agora q ta abandona não fala. O nome da construtora. Sera q era a pedido do Raimundo? Q antes se falava. Estamos cansados aqui nos ingleses de ver q vocês só falam o q o governo quer .CPI aqui e na ponte você não apóia. E dai ?

João Carlos gomes / florianopolis

Caos
09-03-2015

Tivemos a oportunidade acompanhar de perto o movimento reivindicatório justo da categoria.A insensibilidade governamental em ambas as esferas não atendendo pedidos de redução do preço do diesel e do ICMS não é a maior revolta da categoria mas sim a falta de respostas e respeito a pauta de reivindicações. Caminhamos para o caos.


Juarez Colpani / Chapeco


Nome: *


E-mail: *


Cidade: *
Fone: * ex: 00-0000-0000


Título: *


Mensagem: *





ir ao topo           voltar a página anterior
reportagem


Desativado

Enquanto estiver sendo efetuado o serviço de atualização do site este espaço será interrompido, voltando em breve. Obrigado
(leia mais)

artigos


Desativado
Enquanto estiver sendo efetuado o serviço de atualização do site este espaço será interrompido, voltando em breve. Obrigado
(leia mais)



Todos os direitos reservados - Paulo Alceu - www.pauloalceu.com.br
Criação e desenvolvimento: lagaporcilla